sábado, 20 de dezembro de 2014

PR1 - Mata do Cerejal - Alcanadas

Foi na Mata do Cerejal que Nenuco e Pastelita efectuaram esta caminhada que se estende pelo concelho da Batalha e pelo de Porto Mós, um local privilegiado bastante interessante inserido na Rede Natura 2000


O Percurso iniciou-se em Alcanadas, junto às Capelas de São Mateus e Nossa Senhora do Ó. 

Percorrendo inicialmente algumas ruas da localidade o percurso leva-nos a abandonar o concelho da Batalha para uma breve passagem pelo de Porto Mós. 

Atravessando o túnel por baixo do IC9 subimos em direcção a Alqueidão da Serra por um trilho muito bonito que nos proporcionou umas vistas magnificas, pena que, quando chegámos ao topo, nos tenhamos deparado com a deplorável destruição causada pela mão humana. Todo o cume está destruído devido aos trabalhos de extracção de pedra, deixando o vértice geodésico escavado em toda a sua volta lutando para se manter de pé a todo custo, pois a intervenção humana é visível em todo o seu redor. 

Descemos de novo pela vertente Sul, deliciando-nos com a bonita paisagem à nossa frente, passando de novo por baixo do IC9 em direcção a Alcanadas, para nos infiltrarmos em plena Mata do Cerejal, não deixando de visitar o local onde era guardada a pólvora utilizada nas minas, a que dão o nome de Polvarinho e a antiga Boca da Mina de Carvão das Barrogeiras.

O local eleito para descansar um pouco e degustar as já usuais sandochas foi na Fonte Alcanada, junto à Ribeira da Fontinha, que segundo reza a lenda ali encravou a Arca de Noé em 4000 ac.

Ladeando férteis terrenos agrícolas estamos quase a dar por terminado o nosso percurso que perfez cerca de 9 km, tendo sido já corrigido o seu traçado devido à construção do IC9, anteriormente era apenas de 6 Km.

Terminámos o dia com a visita ao Mosteiro de Santa Maria da Vitória, vulgo Mosteiro da Batalha, que foi edificado por D. João I em agradecimento à Virgem Maria pela vitória da Batalha de Aljubarrota. Este mosteiro, é agora considerado Património Mundial pela Unesco e uma das sete maravilhas de Portugal, e pelo IPPAR é considerado também Monumento Nacional. 

Vale a pena nos perdermos pelo seu interior e também pelo exterior, percorrendo as ruas da localidade, apreciando a imponente estátua de D. Nuno Álvares Pereira, e nós, devido à proximidade do Natal fomos brindados com Pateta e seus amigos e também com a presença do Pai Natal e dos seu Gnomos, sendo a visita a este local a cereja no topo do bolo em mais um dia de aventuras de Nenuco e Pastelita.
Mapa do Percurso