sábado, 12 de outubro de 2013

PR7 – Nas Escarpas da Mizarela

No dia 12 de Outubro Nenuco e Pastelita rumam ao parque de campismo do Merujal, situado no coração da Serra da Freita. Chegados, e devidamente instalados há que pôr a mochila às costas e iniciar os cerca de 8 kms que constam do percurso PR7 – Nas escarpas da Mizarela, que começa junto ao parque de campismo, em direcção à povoação da Mizarela, onde do seu miradouro se podem ver duas soberbas cascatas, a Frecha da Mizarela e a Cascata da Ribeira da Castanheira. Imediatamente iniciamos a descida abrupta, por entre escarpas ate ao Rio Caima, observando a imponente Frecha da Mizarela, que é uma das maiores quedas de água da Europa, com mais de 60 mts. Do outro lado do rio pode observar-se a não menos bonita Cascata da Ribeira da Castanheira, que desce a serra em escadaria.

Seguindo depois pela margem do rio até à pequena Aldeia da Ribeira, rio este que foi atravessado por uma frágil ponte de madeira, havendo uma placa com a recomendação de que a mesma não deve ser atravessada por mais de 3 pessoas de uma vez, e demos inicio à longa subida, desta vez acompanhando a Cascata da Ribeira da Castanheira.
Sensivelmente a meio da subida a Ribeira é atravessada por outra ponte de madeira proporcionando-nos uma vista única sobre a cascata, local este selecionado por nós para a degustação da deliciosa bola de carne, enquanto se deliciávamos com o som da água a cair.

O nevoeiro começou a impor-se e fez com que reiniciássemos a nossa subida, sempre ingreme e de terreno bastante acidentado, sendo mesmo necessário em alguns locais aproveitar a ajuda das correntes aí aplicadas para o efeito. Chegados ao cimo fomos recebidos pelas vacas e cavalos selvagens que andavam a pastar, quase nos transportando para outra dimensão, fantástico sentir a natureza com a sua força e ao mesmo tempo sentindo a sua simplicidade.
Com facilidade voltamos a povoação da Mizarela onde observamos as Marmitas de Gigante e atravessamos o Parque de Lazer de Albergaria da Serra de regresso ao parque de campismo…. Finalmente o descanso dos guerreiros….

O dia seguinte foi essencialmente para passear e relaxar, aproveitando o regresso a casa, deambulando, desta vez de carro pela serra, observando o gado que por ali repasta, não podendo deixar de salientar o episodio do Nenuco enquanto tentava fotografar uma manada de vacas, onde o pastor indignado lhe dizia: “Voxê num pode fajer ixo…”, Nenuco educadamente apresentou um pedido de desculpas e em resposta obteve: “Desculpa o c******, voxê num pode fajer ixo…”.
Entretanto continuamos o passeio pela serra até à aldeia da Castanheira onde podemos observar um raro fenómeno geológico, existente apenas na Serra da Freita e na Rússia perto de S. Petersburgo, as Pedras Parideiras, ficando no entanto um tanto triste e desiludida ao verificar que das pedras apenas existem nas marcas, pois a sua preservação foi feita tardiamente, permitindo que as pedras tenham sido utilizadas como “souvenirs” pelos visitantes.


Seguimos o caminho em direcção a S. Pedro do Sul, conhecida e importante estância termal do país, onde almoçamos e fizemos uma breve visita, sabendo no entanto que muito ficou por visitar.

Folheto - PDF
Informação do Percurso
Video



Parque de Campismo



















Rio Caima



Aldeia da Ribeira


Cascata da Ribeira da Castanheira



















Nevoeiro "caindo" na Serra


Preocupação ambiental junto do parque de campismo



Foto que originou o episódio "voxê num pode fajer isso ..."





Albergaria da Serra







Um último olhar da Frecha da Mizarela

São Pedro do Sul