sábado, 15 de outubro de 2016

PR1 - Percurso dos Espigueiros - Oliveira de Azemeis

O dia apresentava-se triste, muito nublado e cinzento, as previsões eram de chuva, mas nem esses aspetos negativos nos fizeram ficar em casa. A vontade de conhecer mais um pouquinho do nosso maravilhoso Portugal falou bem mais alto que as más condições atmosféricas. 


Desta vez deslocámo-nos a Vilarinho de São Luís que é uma aldeia da freguesia de Palmaz, Concelho de Oliveira de Azeméis, distrito de Aveiro. 


Chegados ao local, cerca das 11:30h o tempo tentava pregar-nos uma partida, pois começava a chover. Munidos com nosso equipamento para a chuva, começámos o percurso que sabíamos ser de +/- 4,7 km. 

Para abrir o apetite, fomos subindo em direção à antiga escola primária pela Rua do Cabeço de Cima, passando pela Capela de onde se obtinha uma bela vista sobre a aldeia e arredores. 

De seguida entramos em terreno florestal, subindo por entre plantações de eucalipto, acabando por encontrar os primeiros espigueiros da aldeia. 

Antes de começarmos a descer em direcção à aldeia tivemos uma enorme dificuldade em transpor uma parte do percurso, pois o caminho estava tapado com silvas e mato pelo que tivemos de fazer uso do bastão de caminhada para abrir caminho. Além desta dificuldade, acrescia o facto de não existirem muitas marcas e as poucas existentes estavam praticamente tapadas com a vegetação. 

Alertamos as entidades competentes que procedam à manutenção do percurso, pois sem a ajuda do bastão, o trilho estava completamente intransitável, situação que para quem não conhece alternativas, fica bastante complicada.

Chegados à aldeia e já com a barriga a dar horas, resolvemos fazer uma pausa para atacar as nossas tradicionais sandochas, desta vez recheadas com frango assado que havia sobrado no dia anterior. Findo o modesto repasto, continuámos a nossa caminhada descendo pela aldeia até à ribeira, por entre campos agrícolas, passando por um novo núcleo de espigueiros onde outrora se guardavam as espigas de milho, alguns com eiras nas suas imediações.

Passando os campos agrícolas voltámos a entrar na floresta, subindo até ao campo de jogos para depois voltarmos ao ponto de partida, cansados, transpirados mas felizes por termos acabado e termos conhecido mais um pouco do nosso país.


Mapa do Percurso