domingo, 12 de outubro de 2014

Descobrindo os arredores de Mangualde

Acreditando que em todos os locais que passam há sempre algo mais para descobrir, Nenuco e Pastelita acharam que não iria ser diferente com o concelho de Mangualde, daí aventuraram-se um pouco pelos seus arredores onde encontraram lugares fantásticos com passados cheios de história

Iniciámos o dia com um passeio pelo centro de Mangualde, onde encontrámos uma indicação de “Dolmen da Cunha Baixa”, não nos fizemos rogados e começámos por ai a nossa primeira descoberta. Após passarmos pelo bonito Painel de Azulejos com a indicação de “Cunha Baixa” passámos pela Capela do Senhor dos Passos e fomos seguindo as placas que nos levaram ao local em causa.

Deixando o carro num pequeno largo de terra batida, atravessámos o Rio Castelo através de uma ponte de madeira e logo avistámos a maior Anta que vimos até hoje. Composta por câmara e corredor, já sem vestígios de mamoa é coberta por uma lage sustentada por outras sete. Este Dólmen é considerado um dos maiores e mais completos Dólmens do Neolítico existentes em Portugal. Mesmo para leigos como nós, não é possível ficar indiferente observando esta obra dos nossos antepassados.

Após visita à Sede do Concelho, local eleito para o almoço, dirigimo-nos para Alcafache, passando pela localidade de Tibaldinho, conhecida pelos seus belíssimos Bordados.

A estância termal de Alcafache encontra-se num local paradisíaco, junto ao Rio Dão, conhecida pelos seus benefícios terapêuticos será o local perfeito para curar males do corpo e da mente. As duas margens são unidas por uma magnífica Ponte Romana, situada na estrada de ligação a Viseu, que dista deste local apenas 8 Km.

Deixando este bonito local, tomámos a direcção à Estrada Nacional 234 onde passámos junto ao Monumento de Homenagem às Vitimas do pior acidente ferroviário do nosso pais, que ocorreu em 11 de Setembro de 1985, na linha da Beira Alta.

Para finalizarmos o nosso dia, resolvemos efectuar uma paragem em Carregal do Sal para tomarmos um café e logo a nossa atenção foi desviada para um cartaz com a informação “Circuito Pré-Histórico Fiais/Azenha”, Oliveira do Conde, Município de Carregal do Sal… pois não nos fizemos esperar, como o sol ainda estava alto, uma vez mais, quase ocasionalmente, entrámos numa área arqueológica protegida e descobrimos um enorme complexo rupestre, que merecia sem duvida uma maior permanência no local tendo em conta a quantidade e diversidade de monumentos existentes, sem duvida vale a pena voltar e percorrer calmamente os mais de 4 km deste espaço museológico ao ar livre.

Entretanto o sol já se escondia a passos largos, mais um fim de semana de aventuras chegava ao fim, pelo caminho de regresso a casa já se planeavam novos locais que num futuro próximo gostaríamos de visitar…