sábado, 9 de novembro de 2013

PR2 - Caminho do Xisto da Lousã 2

No dia 9 de Novembro Nenuco e Pastelita mais uma vez se aventuraram numa caminhada, desta vez às aldeias de xisto da Lousã ao efectuarmos o PR2-Caminho do Xisto da lousã 2, nomeadamente Talasnal e Casal Novo.

Com o nevoeiro a abraçar a serra, deixando visível uma paisagem sem igual, eis que chegamos a Vila da Lousã tomando a direcção ao Castelo. Aqui tivemos alguma dificuldade a iniciar o percurso, pois não havia em parte alguma uma placa identificativa do seu inicio, nem junto ao castelo nem posteriormente já dentro do Santuário da Srª da Piedade, existindo apenas uma placa escrita toscamente, da indicação das localidades de Casal Novo, Talasnal… mas nada indicando que seria ali o inicio de percurso, depois de algum tempo a procurar e de alguns pedidos de ajuda conseguimos encontrar o trilho correcto, e iniciamos a nossa aventura através de caminhos escabrosos deixando-se adivinhar um longo caminho a percorrer, mas com a certeza de que mais uma vez iria valer a pena devido à beleza das paisagens e à magia dos locais a visitar.

Percorridos cerca de 2 Kms e depois de termos degustado alguns medronhos, termos fotografado um insecto (talvez uma espécie de gafanhoto) e ter tentado fotografar um rato eis que começamos a avistar a aldeia do Talasnal, com as suas casitas apresentadas em anfiteatro.

Pastelita a uma velocidade de 2 passos por minuto, sente finalmente os pés a subir a escadaria feita com lages de xisto, que nos leva ao centro da aldeia, não podendo deixar de sorrir, pois mais um objectivo tinha sido alcançado apesar das dificuldades.
No decorrer da visita à pequena aldeia tenho que salientar a simpatia com que fomos acolhidos no bar “O Curral” onde estava patente uma exposição de casas de xisto e de janelas, onde haviam reproduções fieis às casas da aldeia.

Continuamos o percurso em direcção ao Casal Novo, aldeia não menos acolhedora, onde simplesmente apetece permanecer e desfrutar da paz que a natureza transmite, e estamos de regresso ao nosso ponto de partida através de uma descida abrupta no meio de uma floresta de acácias, onde de regresso ao Santuário, foi tempo de fazer uma visita e subir até ao castelo, com um sorriso nos lábios e mais uma sensação de missão cumprida.


Folheto - PDF
Informação do Percurso




















Inicio do Percurso