domingo, 24 de novembro de 2013

PR2 - Trilho do Zêzere - Caminho do Xisto de Pedrogão Pequeno II


Após terem feito no dia 23 de Novembro os Percursos “Na Senda da Ribeira de Pera” e “Rumando Contra a Corrente em Direcção ao Açude” em Pedrogão Grande, Nenuco e Pastelita foram no dia seguinte até Pedrogão Pequeno fazer um Trilho no Rio Zêzere, o PR2 – Caminho do Xisto de Pedrogão Pequeno, fazendo uma breve paragem na Barragem do Cabril, onde observaram toda a sua grande dimensão e esplendor.

O percurso inicia-se no mercado de Pedrógão Pequeno descendo por uma estrada romana que nos leva à Ponte Filipina, após fazermos um ligeiro desvio, que se justifica em pleno, tendo em conta o interesse do que vamos encontrar, mesmo por baixo da ponte IC8. Esta ponte foi construída por D. Filipe II e até 1954 foi a única ligação entre Pedrógão Pequeno e Pedrógão Grande.

Ao fundo avista-se a Barragem do Cabril, enquanto o Zêzere desliza suavemente no fundo das escarpas. Enquanto observava esta extraordinária beleza deixei de avistar o Nenuco, mais uma vez andava perdido por entre a vegetação a ver se descobre mais uma cascata ou mais uma fonte… e não é que descobriu mesmo!!!  Acabou de descobrir o bebedouro dos cavalos, que se encontra ao fundo da ponte na outra margem. Depois de bem explorada a área, demos início à dolorosa subida até voltarmos a encontrar de novo o nosso percurso. Seguimos pelo trilho da levada e após passarmos por uma queda de água e pelo túnel chegamos ao Moinho das Freiras, onde na saída do túnel existe um magnífico parque de merendas. Almoçamos no local e mais uma vez o Nenuco se aventurou, trepando pelas pedras da encosta a fim de se deslumbrar com a bonita vista sobre o Zêzere.

Após a passagem pela Albufeira da Bouçã e de sentirmos a tranquilidade daquele lago verdejante, iniciamos a subida até ao Painho, que em tempos foi uma aldeia de moleiros devido à sua proximidade com o rio.

De seguida atravessamos uma zona de pinhal, onde ao fundo encontramos a Fonte das Aveleiras, onde ficamos um pouco decepcionados devido ao seu estado de abandono, dando para ver no entanto, que se tratava de uma fonte muito bonita, de onde deviam jorrar águas muito frescas e cristalinas.


Junto a esta fonte subimos novamente uma zona de pinhal, e no topo chegamos a um túnel que atravessa o IC8 e em poucos minutos voltamos ao início do percurso.

Folheto - PDF
Informação do Percurso