domingo, 15 de março de 2015

PR12 - Rota do Dão

O percurso inicia-se em Silgueiros, junto à Escola EB 2 3. 

Por estradas de alcatrão, atravessámos a localidade de Pindelo, para entrarmos de seguida na estrada de terra batida em zona florestal e de vinhas.

A confusão com a deficiência de sinalização sentiu-se assim que deixámos a zona habitacional e junto à Quinta do Perdigão já não havia sinal do caminho a tomar, depois de deambularmos um pouco ao longo da vinha, encontrámos o caminho correcto.

Seguindo ora por entre pinhais, ora por entre vinhas, surgiu um local em que o percurso sofreu uma alteração, desembocando na estrada junto à ponte sobre o Rio Dão. O som intenso de água corrente despertou os nossos sentidos, apelando a uma subida junto ao leito do rio, onde nos deparámos com um cenário paradisíaco, digno de ser visitado.

Era aqui que provavelmente teríamos saído se não fosse a alteração sofrida. Neste local, encontrava-se o moinho e o primeiro conjunto de poldras, que se encontravam submersas devido ao grande caudal do rio, imaginámos ter sido este o motivo do caminho alternativo.

Voltando ao percurso, seguimos agora até à Aldeia Medieval Povoa Dão, onde aproveitámos para degustar as nossas sandochas e tomarmos o cafezinho no restaurante local. Passeámos durante alguns minutos por entre o casario de pedra, na sua maior parte bem recuperado, seguindo depois pela estrada romana até ao rio, onde nos aguardava o segundo conjunto de Poldras, que transpusemos.

Deste local, até à aldeia de Falorca, houve ausência total de marcações, originando que tivéssemos percorrido alguns quilómetros sem encontrar o caminho, não sendo uma tarefa fácil tendo em conta o acidentado do terreno. Provavelmente tudo teria sido mais fácil se tivéssemos seguido pela estrada de alcatrão, mas o folheto também não fazia nenhuma referência nesse sentido. Foi já dentro da localidade que voltámos a encontrar o caminho, sem termos a noção do que seria ou onde seria o Poiso das Urnas.

O restante percurso foi efectuado sem grandes percalços, seguindo junto às quintas das vinhas que originam o famoso Vinho do Dão, até encontrarmos o caminho que nos levou de novo à Escola EB 2 3 onde terminámos este belíssimo percurso. 

De regresso a casa fizemos um desvio ao caminho, para visitarmos as Termas de Sangemil, e demos por terminado mais um dia de descoberta do nosso belo país, deixando apenas o apelo às entidades competentes de que seja revista a sinalização ou sejam dadas mais informações no folheto, a fim de que esta Rota do Dão seja perfeita, transmitindo mais segurança ao pedestrianista, para que se possa usufruir destas belezas em toda a sua plenitude.

Mapa do Percurso