domingo, 16 de março de 2014

Descobrindo Coja

“O dia 16 de Março começou cedo para o Nenuco e Pastelita, pois o Parque de Campismo de Coja acorda com o chilrear da passarada, o cantar do cuco e até o barulho dos pica-pau não podendo esquecer o barulho das aguas abundantes do Rio Alva que corre a escassos metros, o que originou um fácil despertar.”

Mal pusemos a cabeça de fora já a D. Jenny e o Sr Carlos nos perguntavam como tinha corrido a noite, pois já na véspera tinham-nos alertado, com toda a sua simpatia, para o frio que se poderia fazer sentir, perguntando se não precisaríamos de algum agasalho extra. Pessoas bastante simpáticas e afáveis, como podemos constatar, até pelo convívio que podemos verificar com os restantes campistas, campistas estes escassos por enquanto, permitindo assim uma maior proximidade entre os mesmos e os responsáveis do parque.

Após o pequeno almoço decidimos aprofundar o passeio que já tínhamos começado na véspera pela Vila, com um cafezinho na Praça junto à Casa Senhorial, para iniciar o dia como não poderia deixar de ser.

Atravessamos a Ribeira da Mata, passamos no largo do mercado e vagueamos pelas ruelas até a Igreja Matriz. Fizemos o tradicional picnic no parque de lazer instalado na estrada principal, numa mesa com vista para o Alva. Ao atravessarmos a Ponte antiga de estilo romântico efectuamos uma visita ao Jardim das Rosas, que neste momento ainda se apresenta um tanto mal cuidado, talvez pelas intempéries do inverno e como se impunha, tomamos café n’ O Lagar do Alva, situado em frente à Praia Fluvial, com uma privilegiada vista para o rio, com o parque de Campismo mesmo em frente. 

E rapidamente chegou a hora do regresso a casa, com a ideia de que Coja é um local abençoado pela natureza, cheio de encantos e que deverá ser visitado por todos que amam a paz e a natureza… Connosco ficou a vontade de voltar.


Mapa do Percurso