sábado, 26 de abril de 2014

Da Lagoa de Óbidos à Praia da Foz do Arelho

Apesar da chuva que se fazia sentir no dia 27 de Abril, Nenuco e Pastelita seguiram em direcção ao Oeste com a finalidade de melhor conhecerem a Praia da Foz do Arelho e a Lagoa de Óbidos

O dia acordou desagradável e triste, mas nem por isso desmoralizamos, pois as previsões eram de chuva por toda a zona centro, apenas conseguimos encontrar uma trégua na Foz do Arelho, o que nos pareceu um óptimo destino, tendo em conta que nenhum de nós conhecia muito bem esta localidade. Começámos as nossas pesquisas e reparámos que apesar de ser uma zona extremamente bonita não existem percursos pedestres assinalados e decidimos seguir um percurso proposto pela Inatel “Caminhar com a Inatel, por trilhos de Norte a Sul de Portugal”. Apesar do percurso não estar marcado, tentamos seguir à risca as instruções e só por duas vezes, não conseguimos efectuar 100% como nos foi proposto, mas não houve nenhuma dificuldade em retomar o caminho correcto.

Decidimos iniciar o percurso junto ao parque de campismo tendo em conta que era este o local previsto para pernoitar, começando a descer a Rua do Cruzeiro em direcção à povoação da Foz do Arelho e foi logo aqui que tivemos alguma dificuldade em encontrar a Rua João Emílio da Silva, seguindo em frente até ao Largo do Arraial, mas subindo a rua principal não foi difícil encontrar o percurso proposto, depois foi só procurar a Rua da Fonte e lá estávamos nós de novo no percurso recomendado e subindo a Rua Paulino da Silva rapidamente chegámos ao cimo, onde após a passagem pelo moinho ficámos de imediato com o mar a nossa frente. Pena as previsões terem falhado e de vez em quando termos que levar com um aguaceiro, mas lá vamos nós, felizes e contentes, por vezes um bocado molhados também, começando a descer as arribas por estradas de terra e trilhos marcados pelos pescadores, com o oceano do lado direito, avistando as Berlengas ao fundo, mas para grande pena nossa não nos foi possível fotografar a ilha com muita clareza devido à atmosfera não estar muito límpida. 

Ao longo da costa foi iniciada a construção de uma estrutura em madeira de forma a preservar as arribas, mas um qualquer problema com a Câmara Municipal das Caldas da Rainha ou da própria empresa encarregue da empreitada, levou a que as obras tenham ficado suspensas o que lamentamos pois a circulação por essa estrutura está interdita à passagem dos transeuntes e seria muito mais agradável seguir pelas arribas ao invés da estrada de alcatrão, como tivemos que fazer, esperemos que esses problemas sejam ultrapassados e da próxima vez já nos possamos deleitar com a vista espectacular que esta à nossa frente sem o barulho constante dos automóveis e sermos apenas nós e o mar, quase esquecendo que a escassos metros existe a civilização.

Descendo a Rua Visconde Morais, sempre a avistar o mar e a Berlenga, chegamos à Praia da Foz do Arelho e após um cafezinho numa bonita esplanada a escassos metros do oceano, passamos em frente à Unidade Hoteleira da Inatel, seguindo ao longo das margens da Lagoa de Óbidos, através de um caminho muito bonito pelas dunas, onde se podem ver diversas actividades de pesca e recreio, além de uma vegetação rasteira e alguns pinheiros de pequeno porte e assim chegámos à Pedra Furada.

Depois de passarmos a Pedra Furada, seguimos alguns metros pela estrada de alcatrão, virando à esquerda pela Rua dos Reivais e foi aqui, quando chegamos à Rua do Alto que nos voltámos a enganar, como não havia qualquer indicação do nome da rua, julgámos termo-nos enganado na subida, não vendo o caminho do outro lado como nos alertaram no folheto da Inatel, na realidade estava muito pouco visível e mediante isto seguimos a rua para o lado esquerdo, usufruindo da bonita vista, pois quando subimos apesar do esforço físico ser grande, temos sempre a merecida recompensa em forma de paisagem. Do nosso lado direito já se avistava o parque de Campismo da Foz do Arelho, por isso não nos foi difícil encontrar um caminho que nos levasse até ele.

Como a chuva mais uma vez nos brindou com a sua presença resolvemos não pernoitar ali, mas sim dar um passeio pelo outro lado da lagoa de onde temos uma vista muito bonita sobre a Praia da Foz do Arelho e tomámos a direcção às Caldas da Rainha onde jantámos para regressarmos de novo a casa, felizes, pois mais uma vez nos maravilhámos com mais um cantinho de Portugal. Os outros percursos ficarão para outra oportunidade, que não tardará.

Mapa do Percurso