sábado, 30 de janeiro de 2016

Entre Pontes - Vila Nova de Gaia vs Porto

O fim-de-semana de 29 e 30 foi passado no Norte, entre Vila Nova de Gaia e o Porto.


Assentámos arraiais em Afurada, Vila Nova de Gaia e descemos até à Rua da Praia, junto ao Douro, onde vagueámos pelas ruelas estreitas, e observámos as gaivotas junto à marina, que voavam freneticamente, talvez em busca de alimentos, que estariam mais acessíveis devido ao estado de maré baixa.

Passando por baixo da Ponte da Arrábida, seguimos junto ao Douro até ao Cais de Gaia, observando os diversos barcos que transportam os turistas em cruzeiros pelo Douro, havendo uma vasta gama de oferta a vários preços. Por diversas vezes também o helicóptero com a mesma função chamou a nossa atenção, sugestão bastante tentadora não tivesse um custo tão elevado.

Ao longo da margem do rio, iam aparecendo diversas caves de vinho do porto, ex-líbris daquele local, onde os visitantes podem degustar alguns deliciosos néctares, entre outras iguarias.

Almoçámos uma tradicional Francesinha, num restaurante típico daquela zona ribeirinha, para depois cruzarmos o rio pela ponte D. Luis I, já nossa conhecida pela caminhada que efectuámos em Março de 2014 “Anda Porto”.

É sempre com muito gosto que nos movimentamos pelo Cais da Ribeira, há sempre mais alguma coisa para descobrir nesta praça: desde a excepcional vista para Gaia, aos vendedores ambulantes, lojas de souvenirs, à vasta oferta de bares e restaurantes convidativos a permanecer numa das suas esplanadas, há sempre uma infinidade de motivos de interesse para que não haja lugar a tédio, nesta, que é uma das mais antigas e típicas praças da cidade.

Percorrendo alguma das estreitas e sinuosas ruelas, seguimos em direção à Foz, percorrendo, agora, a margem direita do rio Douro, passando junto à Alfandega, edifício requalificado agora para Museu de Transportes e Centro de Congressos, forma encontrada de preservar o antigo edifício da Alfandega do Porto.

A Ponte da Arrábida já surgia no nosso horizonte, estava a aproximar-se a altura de atravessar a estrada e começarmos a subir a Calçada da Arrábida, em sua direcção, para lá de cima nos deslumbrarmos com as excelentes vistas para a Foz do Douro, e regressarmos de novo ao nosso ponto de partida, muito contentes, pois apesar da chuva por vezes ameaçar cair, conseguimos percorrer os cerca de 10 Km, onde estivemos em contacto com hábitos e tradições numa das zonas mais emblemáticas do País.

No dia seguinte, continuaríamos a nossa caminhada pela invicta…

Mapa do Percurso