sábado, 25 de julho de 2015

Barragem dos Patudos - Alpiarça

Depois de andarmos à descoberta da Serra da Estrela, recebemos um convite de amigos para rumamos mais a sul no fim de semana seguinte, onde iríamos descobrir um pouco do concelho de Alpiarça e participar na Caminhada do Melão.


A viagem correu normalmente, sem percalços, uma vez que Nenuco conhece bem a zona visto ser de origem Ribatejana.

Chegámos ao Parque de Campismo Municipal de Alpiarça, agora com exploração privada, já perto da hora de almoço, e como tal optámos por ir almoçar junto à Barragem dos Patudos, num agradável parque de merendas, retemperando assim, forças para depois montarmos o nosso “abrigo”.

Após montado o nosso modesto acampamento, fomos dar uma volta de reconhecimento da zona, decidindo em seguida iniciar a nossa caminhada.

Saímos do parque e virámos à direita pela estrada de alcatrão, em direção à Reserva Natural do Cavalo do Sorraia. 

Esta reserva foi uma agradável surpresa, pois além dos famosos cavalos lusitanos, existiam também uma enorme variedade de animais da quinta, como por exemplo pavões, pombos, burros, galinhas, cabras, ovelhas, patos e porcos pretos.

Existe também no local um restaurante-bar com esplanada, onde se pode passar um tempo agradável olhando a natureza que nos rodeia enquanto se podem saborear algumas gostosas iguarias.

Depois de apreciarmos as maravilhas da reserva, voltámos pelo mesmo caminho, passando de novo junto ao parque de campismo e mais à frente virarmos à esquerda numa estrada de terra batida em direção à Lagoa dos Patudos.

Logo na primeira curva encontrámos um parque de merendas onde nos podemos refrescar na fonte ali existente. 

As margens da lagoa estavam repletas de pescadores, tudo indicava que deveria estar a decorrer algum concurso de pesca, pois os “apetrechos” que tivemos de transpor por várias vezes indicavam que não se tratavam de amadores. 

Junto a uma pequena ponte de madeira, logo começámos a avistar os patos “bravos” que de bravos já pouco têm, de tal forma já estão muito habituados à presença humana. Eram muitos e andavam todos em bando, em busca de migalhas de pão que alguns visitantes mandavam para a água.

Quando iniciámos o caminho de regresso pela outra margem, todos os patos vieram a voar em nossa direção, efetuando uma aterragem suave na água, batendo com as asas a fazer de travão quando estavam mesmo a uns metros de nós. 

Seguindo sempre pela margem com as objetivas a disparar sobre tudo que nos rodeia, chegámos ao parque de campismo com um grande sorriso nos lábios, por mais uma vez termos chegado ao fim de mais uma maravilhosa caminhada de 5,5 kms e podermos partilhar convosco todos estes momentos que queremos que fiquem nas vossas mentes e nos nossos corações.

Mapa do Percurso