sábado, 11 de julho de 2015

Rota dos Socalcos – Cabeça

Após a Rota do Volfrâmio em Sazes da Beira, seguimos em direcção a Loriga onde iríamos pernoitar. A escassos quilómetros do local, algo nos chamou a atenção, uma placa indicava: “Cabeça - A primeira aldeia led de Portugal”.


Como ainda era cedo, consultámos os percursos “em carteira” e aproveitámos para efectuar a “Rota dos Socalcos” que ali se iniciava.

Iniciámos o percurso no Largo da Malhada, junto à Igreja, caminhando por ruas de xisto e entre casas do mesmo material, muitas, devidamente recuperadas. Enquanto caminhávamos ficámos a saber o porquê de se chamar Aldeia Led. Esta designação deve-se ao investimento em medidas de eficiência energética ao nível da iluminação pública, assim como a sensibilização dos habitantes para uma redução no consumo.

Descendo junto à Junta de Freguesia atravessámos a Ribeira dos Forcados por uma ponte muito bonita, a Ponte do Porto. 

Continuando por um trilho estreito, seguimos em direção à Várzea, começando de imediato a avistar os socalcos circulares delimitados por muros, na vertente em frente. 

Descendo em direção à Ribeira de Loriga, passámos por uma levada, onde nos refrescámos e onde encontrámos marcações relativas a outro percurso – a “Rota da Ribeira de Loriga” (que se inicia em Loriga e termina em Vide). Um pouco mais abaixo atravessámos a Ribeira pela Ponte das Vergas, onde se encontra um velho moinho em ruínas, observando as águas cristalinas e com peixe abundante.

Subimos ao pinhal por um trilho, para o Outeiro da Ponte, passando por casas de pedra, até chegarmos ao Poço da Ponte onde saboreámos as nossas tradicionais sandochas e usufruímos um pouco da piscina natural que ali existia, recuperando força para a subida final até à aldeia.

Foi um percurso muito bem conseguido, pouco exigente em termos físicos com 3 km, apenas o calor do meio-dia, hora que o iniciámos, dificultou um pouco o nosso bom desempenho.

Cabeça é uma aldeia de uma enorme beleza paisagística, um local repleto de encantos cheio de histórias que vale a pena desvendar, digna de ser visitada e exemplo de povoação típica da Serra da Estrela.

E agora sim… fascinados com o que acabávamos de descobrir, seguimos em direção a Loriga…

Mapa do Percurso