sábado, 5 de julho de 2014

PR1 - Trilho da Quinta da Serra

O nevoeiro já tinha desaparecido novamente, ainda havia tempo para efectuar “O Trilho da Quinta da Serra” e uma vez mais Nenuco e Pastelita não se dão por rogados e metem os pés ao Caminho

Havia festa junto ao Parque de Campismo de Montejunto, era o dia da 11ª edição das “Tasquinhas dos Avós” uma organização da Câmara Municipal do Cadaval em parceria com IPSS do concelho. A alegria era contagiante, difícil era não bater o pé ao som do acordeão ou dos ranchos folclóricos, a algum custo largamos a festa e continuamos o nosso caminho.

Na primeira parte do percurso passámos junto a alguns dos 8 painéis da Estação da Biodiversidade de Montejunto, um pequeno percurso pedestre que dá ao visitante informação sobre animais e plantas existentes naquela área protegida.

Esta caminhada é feita através de caminhos de terra e trilhos, sempre muito bem marcados, mérito do Sr. Carlos Rodrigues e do Sr. Sérgio que fizeram um óptimo serviço com muito brio e profissionalismo, é notório o orgulho que têm na sua região, orgulho esse que os impulsiona a desenvolver um óptimo trabalho que por esse facto deixamos as nossas felicitações.

A Serra de Montejunto está intitulada como sendo o miradouro natural mais alto da Estremadura, daqui consegue-se avistar as Lezírias do Tejo, as Berlengas, o Sítio da Nazaré e a Serra de Sintra, tal como podemos nós próprios testemunhar do alto do posto de Vigia, a convite do vigilante que se encontrava no local… Foi simplesmente fabuloso… Após a fantástica experiência de estar no alto de um posto de vigia a observar a serra, impunha-se efectuar o restante percurso descendente até ao Parque de Campismo, onde a musica e o bailarico continuavam.

Para finalizar o dia em beleza, fomos conhecer a Vila do Cadaval, onde tivemos oportunidade de estabelecer um diálogo com a D. Maria das Pomadas que se abeirou de nós em troca de dois dedinhos de conversa, tendo sido a compra das pomadas para o joelho a causa da sua deslocação àquele local. Como o relógio não pára, aproveitámos para jantar e com o céu envolto em inúmeras nuvens negras, voltámos de novo à serra para procedermos ao merecido descanso… Amanhã é um novo dia…